17 de fev de 2009

Um corpo sempre novo

"Se você pudesse ver seu corpo como realmente é, nunca o veria repetir-se.
90% dos átomos de nosso corpo não estavam nele há três meses.

De certa forma, a configuração das células ósseas permanece a mesma; no entanto, átomos de todos os tipos atravessam livremente as paredes celulares, o que significa que

•Adquirimos um novo esqueleto a cada três meses.

A pele se renova a cada mês;

•Adquirimos novo revestimento no estômago a cada quatro dias com a renovação constante da superfície que entra em contato com os alimentos a cada cinco minutos;

•As células do fígado se renovam de modo mais lento, mas novos átomos flutuam tranquilamente através delas, como a água no leito de um rio, fabricando um fígado a cada seis semanas.

Mesmo no interior do cérebro, cujas células não são substituídas depois que morrem, o teor do carbono, nitrogênio, oxigênio etc, é hoje inteiramente diverso do de um ano atrás.

É como se vivêssemos num edifício cujos tijolos fossem sistematicamente trocados a cada ano.

Se for seguida a planta original, ele continuará parecendo o mesmo prédio. O corpo humano também continua parecendo o mesmo, dia a dia, mas através dos processos de respiração, eliminação e outros, vive em constante sistema de troca com o resto do mundo"

Deepack Chopra

Cérebro de alguém com Alzheimer - Direito

Cérebro de alguém com Alzheimer - Direito

MEUS BLOGs