19 de fev de 2009

Células tronco

Um estudo realizado pela Northwestern University School of Medicine in Chicago sugeriu que transplantes de células-tronco podem controlar e, até mesmo, reverter os sintomas da esclerose múltipla, se o tratamento for iniciado a tempo.

Nenhum dos 21 voluntários diagnosticados com a doença, que tiveram células-tronco retiradas da própria medula óssea, piorou durante 3 anos. E, de acordo com os pesquisadores, 80% dos pacientes melhorou ao menos um ponto na escala de problemas neurológicos.

Mais testes ainda estão sendo planejados, mas a comunidade científica já considera os resultados encorajadores.

A Esclerose Múltipla é causada por um defeito no sistema imunológico do corpo, e pode causar sintomas como visão borrada, paralisia e perda de equilíbrio. No início da doença, a maioria das causas do sistema são parcialmente reversíveis. Mas, depois de dez ou quinze anos sem tratamento, efeitos secundários começam a aparecer e os danos neurológicos são irreversíveis.

Outros testes haviam sido feitos antes, mas nenhum mostrou resultados tão otimistas além do tratamento com células-tronco.

O tratamento começa com a retirada das células-tronco da medula óssea do paciente. Esse material é congelado enquanto drogas, que destroem as células danificadas pela Esclerose Múltipla, são administradas. Depois, as células-troncosão usadas para substituir as células destruídas do pelo sistema imunológico.

De acordo com o Dr. Doug Brown, gerente de pesquisas da Sociedade deEsclerose Múltipla, só resta testar o tratamento em um número grande de pessoas para confirmar seu sucesso.

Cérebro de alguém com Alzheimer - Direito

Cérebro de alguém com Alzheimer - Direito

MEUS BLOGs